AVISO

PELO MUNDO

PESQUISE E ENCONTRE MAIS CONTEÚDO

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Ex-vocalista da Cavaleiros do Forró Eliza Clivia e o marido morrem em acidente em Aracaju

No início da tarde desta sexta-feira (16) a cantora paraibana Eliza Clivia, 36 anos, ex-vocalista da Banda Cavaleiros do Forró , e o marido o baterista Sérgio Ramos morreram em um acidente de trânsito no Centro de Aracaju, segundo o produtor da cantora Jailson Souza.
A cantora, que iniciou a carreira solo há quatro meses, estava em Aracaju para divulgar um show, que seria realizado na noite desta sexta-feira (16), e fazer entrevistas.
De acordo com Souza , ela e o marido estavam em um veículo que bateu em um ônibus nas esquinas das ruas Arauá e Maruim, quando retornavam de uma entrevista. Além do casal, outras três pessoas da equipe estavam no carro foram socorridas, com ferimentos leves, e encaminhadas a um hospital de Aracaju. E segundo a polícia, elas foram identificadas como: Cleberton José dos Santos, João Paulo Tavares da Silva e Paulo Texeira de Carvalho.
O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) informou através de nota o estado de saúde das vítimas: Ceberton José dos Santos, 35 anos, dirigia o carro de passeio, foi retirado das ferragens e estava consciente, desorientado, com sangramento auditivo, mas sem sinais de fratura. Paulo Teixeira de Carvalho, 38 anos, estava sem sinais de fratura e reclamando de dor lombar. João Paulo Tavares da Silva, 32 anos, também não apresentou fratura e apresentou dores no tórax.
Na quinta-feira (15), Eliza Clívia publicou uma foto com a leganda: "Na estrada agora a caminho de Aracaju/SE... vou rever e matar a saudade do meu povo querido e amado!".

terça-feira, 13 de junho de 2017

Homem é assassinado a tiros na porta de casa, em Parnaíba

Rafael Pereira da Silva, 28 anos, foi assassinado na porta de casa com três tiros de pistola .40, na porta de sua casa ontem a noite por volta das 20h30 (12/06) no Conjunto João Paulo II, conhecido CARANDIRÚ no Bairro Mendonça Clark, em Parnaíba. Dois homens em uma moto chegaram e efetuaram os tiros.
                                                (Crédito: Kairo Amaral)

Rafael ainda chegou a ser atendido pelo (SAMU), mas não resistiu aos ferimentos e morreu, sendo encaminhado para o necrotério do Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (HEDA). Um vigia, que pediu para não ser identificado, informou que o estopim da execução foi o furto de um capacete.
Mas segundo informações da Polícia Militar, Rafael é conhecido por furtos na cidade. Segundo o vigilante, Rafael Silva é irmão de um bandido conhecido como “Diabo Louro” e outro conhecido como “Tripinha”, ambos envolvidos em crimes, sendo que o segundo acusado de homicídios.
Sheila Maria, irmã da vítima, em entrevista ao repórter Kairo Amaral, no Agora da Rede Meio Norte, afirmou que a motivação do crime teria sido a negociata de um capacete. O objeto, segundo ela, teria sido vendido para um vigia do Mercado Municipal de Parnaíba. Ela contou que Rafael teria sido uma espécie de intermediário entre vendedor e o comprador.

Sheila Maria, irmã da vítima (Crédito: Rede Meio Norte)

“De tarde ele discutiu com um rapaz e agente conhece ele como “Gordinho”, que anda em uma moto preta. Os dois são usuários de drogas. Eles empenharam um capacete com um vigia da feira. Esse vigia é o mesmo que compra as 'coisas' que eles roubam. Eles vão lá na [feira] direto vender para os vigias que compram celular, compra capacete e o que aparecer eles [vigias] compram. Ele empenhou o capacete lá, o vigia não quis devolver o capacete, puxou arma para eles que saíram correndo”, contou.
Segundo Sheila, Rafael passou a sofrer ameaças por causa do capacete. “Esse cara ficou ameaçando ele, e aí quando foi ontem aconteceu”, relatou

sábado, 10 de junho de 2017

Fumaça preta na BR 402 assusta parnaibanos


Internautas enviaram fotos por volta das 16h30 deste sábado (10) de um foco de incêndio saindo aparentemente das instalações da Poliferro, situada nas margens da BR 402, em Parnaíba. A grande quantidade de fumaça preta assustou a quem passava por ali. Informações ainda não confirmadas dão conta de que seria um treinamento.




Os motoristas que transitavam pela BR 402 reclamavam de que a fumaça prejudicava a visão e que isto poderia causar acidentes. Moradores reclamavam do mau cheiro que parecia fumaça de borracha queimada.
Aguarde mais informações.